quarta-feira, 27 de julho de 2011

HISTÓRIA E IDENTIDADE




Conforme Morais (2010), “Narrar história é, antes de tudo, questão de identidade. É possível ver de que modo as pessoas e mesmo toda uma nação se enxergam a partir da forma como redigem e transmitem suas histórias. O que os povos dizem sobre seu passado nos revela como gostam de ser lembrados e muito do próprio momento em que nasce a narrativa.”

Nesse entendimento, Morais, enfatiza que “é possível lembrar e dizer coisas sobre o passado, mas os motivos, as emoções e os porquês se localizam sempre no momento atual em que as versões da narrativa histórica são criadas e transmitidas”.

No que concerne ao poder da História encontrada nos livros didáticos e ensinada nas escolas, Morais, adverte que “as narrativas contadas muitas e muitas vezes pelos professores acabam se tornando verdades didáticas estanques e inabaláveis, como dogmas de explicação histórica. Poucas vezes repensadas, podem se transformar em memória. Entretanto, não devemos esquecer que tal memória carrega consigo uma mensagem confeccionada, modificada, construída a partir de um ponto de vista, sendo, muitas vezes, vinculada a um projeto maior que engloba a própria ideia de povo e nação financiados e liderados pelo Estado”.

Nessa perspectiva, ainda segundo seu entendimento, “a História ensinada pode simplesmente servir a tais projetos, ou não. Pois ela pode, por outro lado, ser o espelho mágico a nos auxiliar quando procuramos entender quem, de fato, somos e de onde viemos. Dependendo da maneira como é tratada em sala de aula, a História nos ajuda a criar um rosto, a partir das dúvidas e inquietudes lançadas sobre o tempo”.

Contudo, Morais (2010),  nos lembra que “a cada novo olhar são criadas e recriadas novas Histórias que tentam dar conta de refletir o rosto que, então, lentamente ali se forma e que se deforma sem parar em direção ao futuro. Novos olhares, novas histórias, um novo rosto”.


Referência:
MORAIS, Marcos Vinícius (org.). Novos temas nas aulas de História: História Integrada - Historia e identidade 1ª ed. São Paulo: Contexto, 2010.

Nenhum comentário: